O protetor

Autora: Sarina Bowen 
Editora: Cherish Books Br 
Publicado em dez./2020 
N° de páginas: 425 


Ontem foi dia de viajar para o Havai, para Nova York, "conhecer" uma empresa "sem nome" em logotipos ou cartões de visita e, portanto, sem rastros. Sabemos que é de segurança, e faz a segurança de muitos CEOs, dentre eles, Alex. 

O jogador Eric Bayer já precisou fazer uma cirurgia no joelho anos atrás e tem sentido dores hoje em dia, mas sequer pensa em se aposentar! O pai e o irmão, Max, são os donos da tal "empresa" e o irmão sempre o tentou incluir no "jogo", mas ele já escolheu o dele, que é o hóquei, sempre declina. 

Contudo, dessa vez ele é incluído no "serviço" (precisam de alguém real e não guarda-costas representando) e conhece a pessoa que está precisando de proteção desde que tinham onze e  treze anos e, ainda, além de ser filha do melhor amigo do pai e ter sido sua amiga, ela está grávida e foi agredida uma vez pelo pai da criança. O ex-namorado ainda desconhece a gravidez, mesmo após quase três meses.

Claro que ela não era mais aquela pré-adolescente, mas uma bela mulher, o que dificulta para o Eric. Rs. Uma "convenção hightec" ocorre em um centro de convenções no Havaí (por isso viajamos tod@s! rs) e ela vai apresentar seu trabalho de mais de dois anos, Bingley, seu mordomo eletrônico, que é nada comum...

Bom, apuros, invasões, roubos, morte... Eric não apenas precisa proteger a Alex como cliente da empresa, mulher grávida, ou como amiga de infância. Sabem disso! Kkk! E a síndrome do príncipe (neste caso nada encantado) ficaria onde? 

- Não se engane! Ela quer um para salvá-la?... -
Sempre foi independente (e tem "A Empresa"). Enquando acreditava ser o ex o problema, temia, tremia apenas em saber que estaria no mesmo ambiente: foi a primeira vez em que foi agredida... Alex sempre foi durona, uma mulher jovem no meio de tantos "lobos". Sente-se protegida quando perto do Eric, mas a teimosia corre dos dois lados e ele dá espaço (e até se diverte com reações!). Tá, ele a pirraça - e vice-versa! Rs.

Há os hormônios dela, ok, porém... 
Ainda há uma construção, sentimentos de amizade antigos recuperados e alterados. Eles sempre colocaram o trabalho em primeiro lugar, dedicaram suas vidas. Mas há outra vida por vir e diversas, mundialmente falando, que poderão vir a correr risco. Quem está atrás dela? Por quê? Sei mas não tem porquê dizer! 

Gostei da leitura. Não apenas me distraiu, mas me intrigou, tive minhas suspeitas, que se modificaram, aumentaram... Também quis que fosse protegida e a sua garotinha se desenvolvesse bem. Entristeci-me quando o outro joelho o fez sentir dor, mas sabia que era um empurrão para ele seguir o caminho que já estava ali mas ele não seguia. Li ontem. Exato, um dia. Rs. Comentei que o ano não tinha acabado no instagram, não foi?!?... Rs.

Caso não os veja até às 23:59, Feliz Ano Novo!!! Sei que para a família acima será! ;-)


Um grande abraço,
Carolina.

Nenhum comentário