Caçada (House of Night, 5)

Autoras: P.C.Cast e Kristin Cast
Título original: Hunted
Editora: Novo Século
Ano de publicação: 2010
Número de páginas: 400

"Novos personagens e cenários são inseridos neste quinto livro da série House of Night. Neferet, após conquistar um novo e poderoso aliado, Kalona, vira as costas para a Deusa Nyx. Juntos, arquitetam terríveis planos. O passado vem à tona, influenciando escolhas fundamentais. A Morada da Noite é ocupada por criaturas demoníacas, que sob o comando de Kalona, um ser incrivelmente belo, mantém o domínio sobre quase todos os alunos e professores. O único lugar relativamente seguro para Zoey e seus amigos é um local escondido, subterrâneo, onde uma nova raça de vampiros habita. Parece não haver fim para os problemas que continuam a surgir. O mal se abate sobre o centro de Tulsa, gerando não só o caos terreno, mas também um grande e doloroso massacre. Será Zoey forte e sábia o suficiente para enfrentar tudo o que está por vir"


A-ya

“Você comanda os elementos.”
“Você já comandou os elementos antes. Foi feita
sob encomenda para me amar.”
Nyx.

    Meios outros de interagir Kalona tem.

 
– Pesadelos… e mais confusão –
São “doses homeopáticas” que as Cast nos dão. Afinal, aos poucos a jovem novata sacerdotisa já fica com dor de cabeça… de vez?!?…

Sempre fico tentada a resumir… contar tudo!… – Cuidado! Spoilers!!.. rs


Quando há muito acontecendo, por vezes precisamos… Não, não dá para bebermos vinho batizado com sangue agora, mas cada um busca uma ‘válvula de escape’. Alguns dormem… a protagonista evita dormir.


Ferimentos diversos: alguns, físicos. Uma flechada e carimbo; um ataque e… carimbo; apartar  discussões, impasses… Muito para apenas uma u-we-tsi-a-ge-hu-tsa escolhida pela deusa como olhos e ouvidos na Morada da Noite de Tulsa processar, impedir, solucionar… Fragilizada, necessita da presença de mais que três vamps para que não rejeite a transformação: retorno dos túneis para a Morada.


Muito?!?

Ainda não!…


A necessidade de interpretação de texto. Ou, no caso, poesia. Kramisha é abençoada pela deusa com o dom de poesias proféticas. As visões da Aphrodite continuam mas, agora, custam muito… E dividir para somar é o de melhor no momento.


“Sombras em sombras
Ele observa através dos sonhos
Asas negras como a África
Corpo forte como pedra
Cansou de esperar
Os corvos chamam.”


Uma visão da Aphrodite ajuda a vovó Redbird, que está sendo assistida pela irmã Mary, do Street Cats. Aqui, em algumas falas desta personagem, o que falta hoje: compreensão de complexidade e respeito.

 O querido zagueiro fica maravilhado ao encontrar “sua garota” e ver suas novas tatuagens:

“Uau! Maneiro demais!”
Acredito que ele seja uma benção para Zoey – não por proporcionar sangue, mas por estar lá para apoiá-la independente de ciúmes: só não consegue ficar sem ela.
 
Cansaço. Planos. Dificuldades. Trevas… até os gatos “se escondem”!
A novata sacerdotisa aceita oferta e “ganha” um guerreiro vermelho, o que o transforma.
 A professora de equitação, Lenobia, não estando sob o feitiço do Kalona, ajuda a Z a pensar, interpretar…    –  Irmã Mary Angela, Stevie Era, Aphrodite, vovó, Zoey  –

O “Mal” tenta usar o Stark; Kalona quer que impeçam a ghigua de se unir ao ritual.

Benção ao invés de maldição: U-do.

Fuga.


RECADO PARA OS BOYS:

“Não pertenço a ninguém exceto a mim mesma e a Nyx.”

 
“Ai caramba!”



Merry Meet, Merry Part & Merry Meet outra vez.



Um abraço,
Carolina.

Nenhum comentário