O inferno de Gabriel

Autor: Sylvain Reynard
Editora: Arqueiro
Publicado em: 2013
No. de páginas: 512

Sabem quando a gente está passando por uma loja e tem livros em promoção? E então não conseguimos nos controlar e, mesmo sabendo que temos centenas a ler em casa compramos mais alguns?... Foi como este livro veio parar no meu livreiro. Li a contracapa e gostei: especialista em Dante. Ficou ali, em uma das prateleiras. Então ouvi que estava sendo filmado... e teve a sua estreia. Já repeti inúmeras vezes: assisto primeiro para ler depois. Da última vez que li para assistir fiquei durante todo o filme com raiva. Assisti. Peguei para ler. Página 185! Sim, o livro foi dividido.

"Gabriel encostou a testa e as palmas das mãos no aço frio da porta do elevador. O que foi que eu fiz?"
Sei, muitos tecem comentários... Relacionam com outros livros. Mas se formos levar em consideração, todos estão seguindo a um padrão tido como romântico e este não poderia ser diferente, ainda mais com a especialidade do professor doutor Gabriel Owen Emerson, Dante, e este tendo tido como musa a Beatrice (Beatriz), nutrindo um profundo amor por ela, mesmo que platônico.
Lembro de ter utilizado uma cena do filme Amor além da vida em um trabalho: quando o marido vai até o "inferno" (na verdade, no Vale dos Suicidas) buscar a esposa e, quando esta não o segue, afirmando que ficará, ele decide que não a abandonará, ficando lá também, mesmo que não reconhecido por ela e sabendo que se perderia: tudo muda!... Sim, o trabalho era sobre o romantismo... Aquele plano nunca foi posto na prática, mas a professora da universidade disse que queria me ver trabalhar com o realismo.

O ideal romântico, algumas ações... são retiradas de clássicos do romantismo em sua mais alta estima e o contexto, as obras, músicas, telas... Fantasmas... Corroboram. O alimentar (lembrei dos livros que estou lendo da IAN) como prazer de prover, de cuidado e afeto: doação... os pequenos detalhes que não denotam incapacidade ou dependência, mas o proporcionar em cada mínimo detalhe. Altamente romântico... Necessitamos das sombras para a luz, inferno para o paraíso. Equilíbrio. E as personagens tem seus infernos.

Gabriel, inteligente, lindo... teve problemas com drogas e mais que não contarei (saberá ao ler! rs) e quando conheceu seu anjo anos atrás, não estava apenas sob influência do álcool... Em um "desencontro", acreditou ter sido uma ilusão, alucinação, provocado pelas drogas. Na belíssima alucinação dele, encontrava sua Beatrice, seu anjo de olhos castanhos e longos cabelos... Na realidade da Julia Mitchell, melhor amiga da irmã adotiva do Gabriel, Rachel Clark, aos dezessete anos de idade (tendo tido uma infância dura com uma mãe alcoólatra que teve muitos "namorados") aquele encontro mágico mudou tudo! Conheceu nele a história do Dante e da Beatrice, conversou com um jovem sedutor e sorridente ao falar-lhe, após incidente familiar. Ele foi o seu primeiro beijo!
"- Você, mais do que ninguém, merece um final feliz. Apesar de tudo o que aconteceu na sua vida, não é uma pessoa amarga. Não é fria. Só é reservada e um pouco tímida, o que não é problema algum. Se eu fosse uma fada madrinha, concederia seu maior desejo sem pensar duas vezes. Secaria suas lágrimas e lhe diria para não chorar mais. (...)" - Rachel para Julia.
Julianne teve mais problemas que a falta de carinho e atenção ou a pobreza durante a infância, mas não fala sobre ele (Simon). Ela foi "meio que adotada" pela família da melhor amiga, tendo a Grace como uma segunda mãe. Conhecia o Gabriel pelas falas dos familiares e fotos. O único encontro deles foi aquele, onde ele a levou para o pomar e ceiaram maçãs. Ela jamais o esqueceu... Quando ele a revê seis anos depois tem uma certa "ilusão de familiaridade" que não identifica, afinal, "estava chapado".
     
Carol, chega disso, vai!!... Rsrs.
    
Bom, a irritabilidade e a escuridão fazem o professor mudar sempre de humor, alternando com os momentos de simples educação e cavalheirismo. Os embates são imprevisíveis e ele sabe deixar uma pessoa desconfortável! Um desentendimento inicial faz com que ele a mande procurar outro tema para seu mestrado, orientador/a ou, até, manda que mude de universidade! Grace faleceu e ele não estava lá... A máscara que ele veste de frieza, distanciamento, é oposta a necessidade que jamais expressará de contato e aproximação - sequer ele se  dá conta de tal necessidade. Acredita que atrai pecados, que está além de reparação.

Julia acredita na bondade, na gentileza... Isso o choca, mas o enfeitiça, a reação dela, o sorriso verdadeiro e aberto quando ocorre, o cativa. Ambos se acham indignos. Ela pelo condicionamento, relacionamento abusivo e falta de amor; ele pelo seu lado sombrio e passado. Após a revelação de que a sua Beatrice foi real, é real, ele entra em choque! 

"Non sono più Beatriz".

Magoamos... Somos magoados... Deixamo-nos magoar... Necessitamos de tempo; precisamos de gestos além de palavras. Olhar nos olhos. Assimilar... Mas quando é de verdade, damo-nos a chance. Eles precisam. E querem.

Depois do recolhimento e do embate, a entrega à calmaria. Junto a ela, mais. A partir do reconhecimento mútuo, doses homeopáticas de verdades, segredos... O romantismo em toda a sua possível forma de expressão. Atitudes mínimas são mais que carinhos, entrega-se mais que o coração ou a alma, mas todo o ser. Sim, há quem ache exagerado e meloso mas, novamente, os toques culturais e filosofias, os lugares... Dante e Beatrice se reconhecem nesse novo encontro; Gabriel e Julianne se apoiam.

Outros filmes virão e não quero dar spoilers para quem assistiu e não leu mas... devorei. As referências a locais, músicas, as poesias, os sentimentos que transbordam. Dante. Florença. Amor incondicional...

La gentilezza ti fa sbocciare, vero? Come una rosa.


Um abraço,
Carolina.

10 comentários

  1. Eu AMO a trilogia do Gabriel... Reli em dezembro 2019 para uma LC e revivi boas recordações de quando li a primeira vez. Texto excelente como sempre Carol! Parabéns pelas minúcias sem spoilers👏👏👏👏👏👏~ Mandy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rs... :)
      Foi a minha primeira vez! Rsrs...
      (Se o Gabriel estivesse aqui diria que fica feliz da minha primeira vez ter sido com ele!.. Kkkkkkkkkkk
      ;*

      Excluir
  2. Ah, pela sua resenha essa história parece ser tão linda! E tem tanto comentários negativos por ai que tô desanimada de ler esse livro.
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário negativo? Quais?.. rs.
      Melissa, as histórias que lemos interagem com muitas outras histórias momentos... rs. Cada um lê e adequa consoante seu momento, experiências... Olhares. Se por vezes parece controlador? Sim. Quando ela ressalta, ele recua, explica o ponto de vista dele e pergunta o que ela quer, geralmente. Com a comida, ele não recua, explica o significado e pede que ela aceite que ele a alimente, por favor. Rs.

      Jamais esquecerei o trabalho que todos me disseram ser digno e um DEZ e a profa.deu nove por dizer que romantismo era muito fácil para mim, queria me ver trabalhar com o realismo... :/ Rs.

      Abrç!!!

      Excluir
    2. (Não foi uma vírgula e um espaço... mals! Rs)

      Excluir
  3. Já tentei ler umas 5 vezes kkkk, esses dias peguei novamente,porém a leitura não rola. Acho super legal quem já leu e releu kaka

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li de primeira mesmo. Rs. Por vezes é o momento... Noutras, outra leitura seria a indicada.
      Tenho que ler os demais mas há outros a serem lidos... Muitos! Kkk! Veremos!

      Abrç!

      Excluir
  4. Então essa parte que lançaram ainda é do 1 livro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. O 1o.livro foi dividido em 3 partes, pelo que me informei. :*

      Excluir
    2. Sim. O 1o.livro foi dividido em 3 partes, pelo que me informei. :*

      Excluir