Bate-papo: a Leitura conquista @ Leitor

Olá! Espero que estejam bem e se cuidando! ;)

Quando fazem a famosa pergunta: Qual o primeiro livro que leu? - Seja em grupo de leitores no Facebook, seja no Instagram, Twitter... Diversas respostas aparecem mas estranham a minha: João Feijão. Ele foi escrito pela Sylvia Orthof, com ilustrações de Walter Ono, publicado pela editora Ática. 

Uau! Sim, lembro - e ainda tenho! 
Admito: "pesquei" ou "colei" o nome do ilustrador. Rs.

Já fui... criticada. Quando eu falo de João Feijão, a história vem à minha cabeça, as imagens... A alegria de saber que o João não apenas sobreviveu mas "Crescia, engorďava e sorria." Sim, ele "se tornou um senhor pé de feijão!" E, depois, tornou-se "pai" quando uma das suas sementes caiu no chão e outro pé brotou. Eu era criança...

Mas, Carol, você cursou... Fala sério! Sim. Eu sei. Esse livrinho na primeira série me dava as noções iniciais de que uma planta, assim como nós, precisa de água para germinar, crescer... e não apenas de terra. Sem água, João morreria. Fiquei sabendo que o chão seco foi molhado pela chuva... Fiquei sabendo que plantas tem raízes, de onde "bebem" a água... Ciências. E não sabia o que era "ciências" naquela época. 

O passarinho fica no céu, o pé de feijão na terra. A nuvem pode trazer a água... Mas para a criança que fui, amigos que se importavam ajudaram o pequenino João, ele sobreviveu devido a isso. Cresceu, tornou-se "adulto", assim como a criança que eu era se tornaria adulta... O que me conquistou foi o laço.

E lembro do Rubem Alves mencionando a Sedução. O livro seduz; a história seduz; o laço marca. Fica. Aquece o coração. Você pode discordar. Conheci e ainda conheço quem o faça. Normal. Concordamos, discordamos. E, ainda assim, devemos respeitar. 

Convivo com leitores e futuros leitores. Eles por vezes ainda não o sabem. A depender do dia, de como fale de uma história em particular, como estimule sua curiosidade... Uma estória pode agradar a dez e desagradar a um ou dois, como mencionei em outro bate-papo.  Sedução, saudoso Rubem! Acreditem, diferente do que uns tentam nos convencer, a galera lê!

Para a garotinha da primeira série que fui, a amizade entre o feijão, o passarinho, o sino, a nuvem, o trovão... Amizade. Amor. Querer bem. Consideração. Conquista. Quando leio, posso analisar muito... Há pouco respondi a um comentário em uma resenha daqui do blog. Disse procurar não julgar a personagem. Discordo das atitudes, argumentos, mas... Rs. 

Li muitas personagens das quais discordei, ainda assim lhes dei atenção. Obviamente não tem como eu ter gostado de tudo o que li e... bom, já li bastante. Já comprei graphics por estar a 10% do valor de capa e senti repulsa (não direi mais sobre) mas conhecia quem sabia que ia gostar e dei. Não julgo a pessoa - ela se amarrou no presente! Rs. (E nem gosta de ler assim...) Descobri um termo que desconhecia e que há... ainda mais mundos. Veem, aprendi algo! !

Hoje reação poderia ser menor. A leitura também tem a ver com momentos, conhecimentos... Ainda acredito impensável para mim. Mas estimulou leitura ainda assim. Rs. Já tentei ler por semanas um livro e... nada. Repentinamente, em uma noite, devorei-o!

Poderia continuar falando e falando... Quando gostamos de um assunto ele parece não ter fim! E livros são meus amigos desde que me lembre. Já me tiraram de tristezas, causaram gargalhadas altas que assustou transeuntes! Agatha Christie fez uma amiga da 7a. série começar a ler repentinamente, e cursou Letras quando adulta. Crepúsculo fez minha primeira leitora da Jequié ler Jane Austen, Brontë e Shakespeare - inicialmente!

A Leitura conquista.
O Livro seduz.

Não é destinado à elite mas a todos!
#defendaolivro #defendasonhos

Um abraço, 
Carolina.

Nenhum comentário