A prisão mal-assombrada

Autor: Joseph Delaney
Editora: Bertrand Brasil
Ano de publicação: 2014
Número de páginas: 112


A história começa com a primeira noite do órfão Billy, de quinze anos, como guarda de uma sinistra prisão. Mas essa não é uma cadeia qualquer com prisioneiros comuns. Nela há celas mal-assombradas que não podem ser usadas, sussurros e gritos durante a noite. E o temido Poço da Bruxa. Billy é alertado a manter distância do prisioneiro que fica lá no fundo do poço. Mas quem poderia ser? O que poderia ser tão assustador?

O cenário deste livro é inspirado no Castelo Lancaster, onde, em 1612, as bruxas de Pendle ficavam trancadas antes de serem julgadas e enforcadas. Elas eram mantidas em uma cela conhecida como Poço da Bruxa. Quando Joseph Delaney visitou o castelo, ficou imaginando o que teria restado lá embaixo depois que as bruxas se foram.

Conhecido mundialmente pela série best-seller As Aventuras do Caça-Feitiço, Joseph Delaney aventura-se, desta vez, numa história independente, mas ainda repleta de mistério e fantasia.”


Gosto do Joseph Delaney. Tenho todos os livros dAs aventuras do caça-feitiço e detestei o que fizeram ao “adaptar” (pode ser chamado assim o que fizeram?!?) para o cinema. “Assistível, mas completamente esquecível.”  - O filme, não os livros!

Quando fiquei sabendo que ele tinha escrito um infanto-juvenil, alguns anos atrás, este, tive que ler!



Billy Calder tem 15 anos, vive em um orfanato desde os 6 anos, quando perdeu os pais. Como “não há muito trabalho para rapazes de orfanato” (p.12), ele, independente de vontade, começa a trabalhar – em treinamento – na prisão. Teve sorte, crê. Pensa que algumas semanas e teria dinheiro para um quarto em outro lugar.

Ãh, mas é o Joseph! Só uma prisão? Espere! Nesta prisão há também feiticeiras (e “acusadas de o ser” que não “boiam” ao serem afogadas mas, ah!... um pequeno “engano”, já era! – sempre detesto ler isso. Foi real. Faziam essas e outras coisas com mulheres inocentes acusadas! Bom, outro papo, para outro momento!). Agora, sim, Delaney! Rs. Os mitos de onde o autor mora o encorajam – lendas...

Sim, o Billy é transferido para o turno da noite a pedido da Netty e, tudo o que o carcereiro Colne fala a respeito é que se trata do espírito de uma feiticeira que foi enforcada e que não se brinca com ela! Há um preso especial, trancado no “Buraco da Bruxa”...

Não posso contar a aventura completa do Billy. Digo que todos são advertidos a não se aproximar – apenas o Colne dá comida àquele preso, à meia-noite. Por que não posso? É um livro pequeno, gostosinho de ler, com fonte – creio – 14, ou seja, agradável de ler, com ilustrações para “deixar mais no clima”. Se eu falar, conto tudo e perde a graça! Apenas pergunto: já leu algo do autor ou desse tipo de “feiticeiras”? Sabe o que é um ab-humano? Se já leu, deve saber; se não o fez, saberá! 
 

Tive o prazer de conhece-lo na Bienal do livro de 2015 e ele é um gentleman, cheio de conhecimento e simpatia! Valeu a viagem corrida Salvador-Rio de Janeiro-Salvador. Indico que leia a série dAs aventuras do caça-feitiço.



Um abraço,
Carolina.

Nenhum comentário