Malévola: dona do mal

Autora: Elizabeth Rudnick
Editora: Universo dos Livros
Publicado em 2019
No. de páginas: 256

Sobre o livro: "Enquanto Rainha dos Moors; é responsabilidade da princesa Aurora proteger o reino mágico das criaturas dos contos de fadas; que está sob ameaça iminente. Para consegui-lo; ela vai somar forças com sua madrinha; Malévola; que não hesitará em tomar caminhos sinistros se eles a ajudarem a cumprir seu objetivo; ainda que isso inclua lançar mão de sua magia maligna; de um exército de criaturas das trevas e de seu fiel servo; o corvo Diaval.

Na sequência dessa aclamada franquia; o surgimento de novos adversários; a proximidade de um casamento e a presença de uma rainha formidável são fatores que obrigarão tanto Malévola como Aurora a ressignificarem sua percepção sobre os complexos laços familiares que as unem. Será que elas conseguirão superar os obstáculos ou terão de lidar com uma inevitável separação?"


Como é o livro oficial do filme, quem assistiu a este (lançado em outubro de 2019) já sabe seu final. Ainda assim, a leitura emociona!... Sentimentos, descobertas, mentiras reveladas, mal-entendidos, algumas 'baixas'... Admito que ao ler sempre imagino a Angelina Jolie como a Malévola, não tem como fugir. Posso imaginar qualquer personagem, exceto ela! Rsrs... 

Moors é um reino lindo! E o plano orquestrado pela pessoa inimiga foi bem pensado. Usar o já conhecido e esquecido foi genial, afinal, "passou", quem se lembraria? Algo já usado uma vez ainda teria algum poder de "devastação"? O bem resolvido ainda é lembrado como problema se não existe mais? 
"Maldições nunca acabam - acrescentou Lickspittle enquanto Malévola olhava para o fuso. - Elas são quebradas."  
Sentir-se sozinh@, únic@ no mundo é desolador. Por mais que se abrace causas, pessoas... momentos. Contudo, por dentro, sente-se "como que um peixe fora da água", fazendo parte, mas não pertencendo. Descobrir a existência de outras fadas negras (não ligado a bem ou mal, mas espécie - diferenciam-se das outras fadas por serem maiores e mais fortes, possuírem asas gigantes e chifres) ainda que sendo distinta até mesmo entre elas por ser a última descendente sanguínea de uma das primeiras deles, capaz de se transformar... Ter a outr@s, machos e fêmeas, adultos e crianças, uma surpresa bem vinda!

Como não amar uma bruxa / mãezona super cheia de sentimentos a expressar?!?..  ;-)

Bom, uma aventura que termina como em todos os contos de fada: a princesa e o príncipe... casamento... renovação... 

Amor.


Um abraço,
Carolina.

2 comentários

  1. A minha opinião sobre e que tudo que a Malévola queria era amar e ser amada:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rs. E não um amor qualquer, mas Amor. Ela se descobriu "mãe" e esse sentimento extrapolou Aurora. Ela cuida das fadas negras crianças...

      Excluir