Prelúdio do cinismo

Autora: Sue Hecker
Série Mosaico, 1.
Editora: Harper Collins Brasil
Ano de publicação: 2016
No. de páginas: 103*
[18+]
"Antes da traição, houve o desejo...Controle. Para Caio, esta é a palavra que faz tudo à sua volta funcionar. Senhor de suas ambições, descarta o que não lhe convém com uma frieza absoluta, inclusive as paixões. Acostumado desde jovem aos benefícios proporcionados pela alta posição social e dinheiro, sabe atuar com desenvoltura em um mundo onde a aparência é a moeda mais valiosa.Liberdade.
Este é o sentimento que move Bárbara. Dona de suas vontades, sempre soube correr atrás daquilo que lhe encanta, de um lugar no mundo. Apesar de ter nascido em uma família abastada, fez o seu próprio caminho, tornando-se contadora, com uma promissora carreira. Impulsiva e batalhadora, lida com cada situação guiada pelas emoções, prezando aquilo que lhe faça feliz.
Um encontro inesperado em um bar de São Paulo une estas duas pessoas tão opostas, dando início a um sedutor jogo cujos corações são o principal prêmio. Mas, mesmo que alguém vença este duelo de beijos intensos e gemidos sussurrados, será que existirá entre esses dois um “Felizes para Sempre”?
Sue Hecker presenteia os seus leitores com o delicioso e esperado prequel de O lado bom de ser traída. Descubra como a história de Caio e Bárbara começou e permita que estas linhas deixem os seus sentidos à flor da pele."

Olá! Cá estamos nós!.. Rs. Que o major Bastos (Pegasus) me encantou já deixei claro, então, vamos ler o início da série Mosaico, enquanto o segundo livro, com a história do melhor amigo dele e irmão da Maya não vem! Quando terminei de ler, perguntei para a Sue: a intenção era fazer com que eu odiasse o canalha com cada fibra do meu ser?!?... E ela disse que eu teria que ler O lado bom de ser traída, já que o Prelúdio do cinismo foi escrito como prequel para este outro, publicado físico pela editora.

O cara é tudo que eu poderia detestar no início, parece se conectar com algo dentro de si ao construir um relacionamento com a Bárbara - por mais que ainda veja traços machistas nele -, quase dou voto de confiança para o malandro e... "BAM!" É um cretino! Sei que tem gente que gosta - jeito pegador canalha, boca suja, cafajeste que se acha o último biscoito do pacotinho -, que se excita com isso mas eu prefiro outro... não me importo com o "status".

(O que mais me enfureceu foi que eu acreditei... Acreditei que ele tivesse se deixado levar pelo lado bom que mostrava com Bárbara. Ele parecia satisfeito, ter encontrado o seu lugar e disposto a ser e fazer feliz, como um casal. Houve momentos nos quais realmente me deixei convencer...)

Eles se conheceram em um bar, num Happy Hour. Ele com dois gerentes do administrativo (sim, um CEO bem metido e endinheirado) e ela, com um tubinho preto e salto, no melhor estilo "executiva", uma fantasia dele. Detalhe: os dois gerentes também eram idiotas, pelos comentários. Ela até brincou, jogou... E creio que ele se deixou levar justamente por ela não ter cedido de cara, como era o intuito inicial dele. Chega a ter momentos em que, como disse, acreditei que ele nutria sentimentos...
"Os encantos do amor nos fazem sentir completos, encontrar a perfeição nos mais míseros detalhes, nos causa uma leveza interior e faz a alma flutuar. Quando se está amando, não há sentimentos contraditórios. A gente não pensa, contesta ou hesita. Simplesmente sente." [46%]
(O que, na verdade, só faz com que odeie mais ele ter jogado fora tudo... Por uma mulher qualquer, que ele mesmo disse não ser páreo para a Bárbara, ser apenas mais uma... que topa de um tudo, etc. Novamente, machista. Voltando ao início, um babaca. Será que detestei ele, a atitude dele?...)
Bom, com cenas muito eróticas, diversos momentos entre o casal, eles construíram um relacionamento e ele chegou a propor noivado, vendo como consequência natural, próximo passo inevitável, e estava tudo ok, porque eles tinham um fogo que sabiam aplacar um no outro. Vamos sabendo da história por ambos os pontos de vista, com alternâncias entre o dele e o dela. A expansão da empresa com filiais e... ele "caga fora do penico" uma vez... Duas vezes... Até que encontra uma sacana no nível dele, que manipula usando sexo e "brinquedinhos" almejando o posto já ocupado, mas tramando o que poderia conseguir tirar dali. Nicole arma. Ele cai.
Bárbara descobre da pior forma: rede social (facebook), enquanto "passa tempo", já que o amado noivo está viajando "a trabalho". Cinco anos!... Ele não enganou apenas a Bárbara: jogou fora, pela latrina, algo que foi construído por anos! Pouco antes dela descobrir tinha feito uma surpresa incrível de aniversário para ele!!!
"Nossa intimidade era além do ato sexual. Era a nossa cumplicidade, a verbalização do amor, estar em silêncio quando o outro precisava do seu momento. Com ela eu tinha a intimidade de ler nos seus olhos todos os sonhos que desejava viver comigo." [92%]
Ele jogou fora isso, esse tipo de relacionamento, sentimento, completude... por, palavras dele, uma "chave de boceta" - nem preciso dizer que não gosto desse linguajar, embora saiba, repito, que sei que há quem goste. Apenas espero que ele...!
"...Ela só representa para mim satisfação e complemento na cama, muito ao contrário do que sinto pela Bárbara que, além de ser uma ótima parceira, é uma dama, elegante e perfeita para estar ao meu lado em qualquer circunstância." [87%]
Estou com O lado bom de ser traída. Ele veio para mim pelo correio. Espero que o Caio sofra - não apenas veja o que perdeu, mas sinta na pele o que a Bárbara sentiu. Quero muito que a Nicole depene ele, faça ele ver no que dá agir como agiu..! 

Ah, chega, eu não sou vingativa, sério! Apenas não admito o que ele fez. Ele tinha uma vida plena com a Bárbara, não precisava "cantar em outra freguesia". 

Aahhh! Ele que se dane!
Torço pela Bárbara.
Torço pela sobreposição com memórias melhores!
Sei que a querida Sue pode providenciar isso para a Bárbara - e vai!  



Um abraço, 
Carolina.

Nenhum comentário