Dores e amores

Autora: Tatiana Amaral
(Mulheres do 128, #2)
Editora: Pandorga
Ano de publicação: 2019
No. de páginas: 379

"Ruth conheceu o seu príncipe encantado. Rafael era um homem apaixonado, carinhoso e dedicado a sua princesa. A vida parecia perfeita e o futuro era promissor. Decidida a fazer o relacionamento dar certo, Ruth ignorou as sutis mudanças, justificou os erros e acreditou na força daquele amor. Até perceber que já era tarde demais.
Dores e Amores é um livro forte.
Abordando a violência doméstica e os relacionamentos abusivos, Dores e Amores traz um tema atual e que precisa ser discutido.
Descubra como Ruth venceu a sua história e se apaixone por você mesma."
“O amor não sobrevive a tudo. Só amar, muitas vezes, pode ser o seu maior erro.”

Foi uma leitura inicialmente difícil... Por quê? Atual. Real... Cruel. 


Por vezes converso com pessoas mais próximas e falo da falta de humanidade que tenho sentido nas pessoas. Passei a falar, inclusive na diferença dos prefixos "des-" e "in-"... Bom, voltemos.

Ruth tinha pontos contra desde o início: por vezes a superproteção excessiva faz com que não veja o mundo como ele está, apresenta-se. Podes contestar: Mas, Carol, a irmã dela sentia! E te lembro: o deslumbramento... Como Barthes citou em Fragmentos de um discurso amoroso, "desrealidade".
"Sentimento de ausência, fuga da realidade experimentada pelo sujeito apaixonado, diante do mundo." - p.77. Ele cita Lacan. "... a recusa que oponho à realidade se pronuncia através de uma fantasia: tudo ao meu redor muda de valor em relação a uma função, que é o Imaginário; o enamorado se separa então do mundo, ele irrealiza porque fantasia de um outro lado as peripécias ou as utopias do seu amor; ele se entrega à Imagem (...)" - p.79
Ruth se deixou levar, mesmo quando o Rafael começou a dar indícios de que não era o príncipe prometido. Dois anos de namoro... Sinceramente, no início eu não conseguia admitir que ela não visse mas, novamente... a imagem criada é difícil de transpor. No cinema, eu teria dito para ele ir procurar uma prostituta em uma esquina, no carro, sim! E que não precisaria voltar!!! Mas ela foi criada... Ele foi o primeiro namorado... Nada justifica, sei. Injuriei-me! 
"Só que não foi como eu me senti. Pelo contrário. A maneira como o Rafa se expressou me deixou envergonhada, como se estar magra me tornasse desmerecedora da sua atenção, do seu amor. Equiparava-se a ouvir que havia perdido a minha beleza, assim como o seu interesse por mim." 
Ele desfaz... Começa a rebaixar, diminuir... Ela tem que ser como ele quer que ela seja fisicamente.
"Pois às vezes, só às vezes, imaginava se aquele desejo do meu noivo não era uma espécie de controle sobre mim. Uma forma de garantir a sua posse, como muitas vezes afirmava." [7%]
Posse. Algo sobre o qual ele tinha o direito de fazer o que bem quisesse... (Tal como se faz com um objeto.)
"O momento jamais permitiria a minha entrega ou prazer. A tensão e o medo se juntavam a mágoa." [9%] "Devo admitir que foi horrível. (...) Fiquei aliviada com a volta do homem doce que eu conhecia. Ao mesmo tempo fiquei péssima por ter sido boba (...) Havia algo de errado comigo."
Ele faz algo que ela não quer em local público, momento indevido e não quisto. Aponta outras pessoas tentando "convencer" e reverte para o quadro de que "a problemática é ela". 
"Aquela sensação ruim de não ser o suficiente para ele, ou de que jamais conseguiria ser interessante."
"Insegura, pensando em não querer de forma alguma estragar a nossa noite..." [15%]
Ele é o melhor, o mais velho, o mais experiente e sabido. Ela é nada, uma tola, que precisa crescer e apenas fazer como ele diz. A culpada de qualquer atitude dele é ela, que faz com que ele perca a cabeça, provoca ciúmes... Todos a querem e ela "dá mole". 
"Foram dois segundos de puro choque. Uma agressão gratuita e desmerecida. Eu não fazia ideia do motivo que ele acreditava ter para me tratar daquela forma, e não podia aceitar que fosse assim. (...) Só que quando voltei a olhar para Rafael ele tinha desaparecido. (...) Em um canto mais escuro Rafael conversava com duas garotas. (...) naquele momento vi que ele queria aquilo. Que o visse com outra pessoa. Foi perverso." 
Ela é substituível. Tem que fazer por onde o merecer, ou há outras...

'Jogos mentais'. Parece nada, é uma pequena sugestão inocente, alimentada diariamente, que vai incutindo no subconsciente... Repetições bobas, 'sem a intenção', 'sem querer', 'acidentais'... Elevando-se ao outro, subjugando-o... Uma 'pequena brincadeirinha'. Nem um pouco engraçada.

Rafael mostrou ser pior que um sapo. Abusivo, violento, cruel, sociopata. Nossa sociedade está infestada de pessoas que pensam ter direito umas sobre as outras. Sobre seus pensamentos, intelectos, direitos, mentes e corpos. NADA justifica as atrocidades cometidas e nos telejornais... e nos jornais impressos... e dados coletados, pesquisas... Todo início de capítulo traz algo a mais. Verídico.

Saulo vem como um bálsamo. Um protetor, já que é da polícia, faz parte da comissão do prédio, cuida da segurança. Ele observa... Reconhece os sinais... Discorda, mas respeita. Quer ajudar mas ela tem que dar a carta branca. Quer acabar com a situação, mas ela pensa na família, no pai que não aceitará, na vergonha de dizer passar pelo que passa... 

Outras moradoras são apresentadas, provavelmente estarão em outros livros da série. Quando consegui admitir que teria que encarar e deixar as doses homeopáticas, intercalando com as outras leituras, o livro voou! Ele é forte, mas NECESSÁRIO.


Sei que será difícil para algumas pessoas, mas aconselho que leiam, que se atenham aos sinais... Omissão não ajuda. Medida restritiva quase nunca ajuda.


Um abraço,
Carolina.

4 comentários

  1. Gente, esse com certeza é daqueles que você tem vontade de jogar o livro fora mais ao mesmo tempo mostra para o mundo. Como pode algumas pessoas se eu fingiram de cegas para assuntos tão importantes assim? Para alguns isso é coisa do passado, só sabe quem vive...para mim não passa de pura ignorância.
    Espero que a personagem tenha se descoberto e percebido o quão amor próprio é o melhor remédio para a felicidade. Obrigada pela ótima indicação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inicialmente eu lia um pouco e parava para respirar... Mas depois, resolvi que tinha que encarar até que acabasse! A cada início de capítulo, os dados de pesquisas mostram claramente que é uma realidade vivida por várias mulheres! Triste...
      Espero que o Ser se torne mais Humano!

      Obrigada você! Espero que goste da leitura. Aproveite que hoje ainda está gratuito na Amazon, Kindle!

      Abraço.

      Excluir