A esposa do soldado

Autora: Merline Lovelace
Editora: Cherish Books Br
Publicado em: 02/2019
No. de páginas: 332


"Determinada a encontrar seu marido desaparecido, Julia Bonneaux e sua filha partem em uma perigosa jornada ao Wyoming. Mas ao chegar ao Forte Laramie, Julia reencontra o Major Andrew Garret, o homem com quem se casara secretamente seis anos atrás, um espião da união, que a traíra e que ela acreditara estar morto. Agora ela precisa de sua ajuda, e Andrew se vê dividido entre o dever e o desejo, entre os mal entendidos do passado e a promessa de um novo começo."


(Livro 1 da trilogia Os Garretys de Wyoming.)



OMG!

Esta é a primeira vez que leio uma história passada no Velho Oeste. Assuste-se! Rsrs. De início senti a diferença: nada de famílias em grandes casas ou fazendas, títulos e bailes, mas um grupo de viajantes... FORTE LARAMIE. Nada de luxuosas carruagens para a viagem, mas carroça, vagão, muito calor e poeira!


(E o que a curiosidade faz com a gente?! Vamos olhar! O forte foi inicialmente estabelecido como um forte de comércio privado de peles em 1834 e evoluiu para o maior e mais conhecido posto militar das Planícies do Norte antes do seu abandono em 1890. Ele testemunhou toda a saga da expansão ocidental americana e resistência indígena à invasão em seus territórios.)



- São nessas horas que... #OrgulhoDaAutora! -

Sim, viajantes... Intenção: avançar até Montana, apesar dos conselhos dos locais por não ser um território seguro. Indígenas hostis Sioux, Cheyenne e Apaho descontentes com estradas e fortes militares nas suas terras, descumprindo o tratado de 1851*, poderiam atacar.
"Milhares de pessoas foram atraídas para o oeste por histórias de fazendas ricas no Oregon, outras milhares, pela descoberta de ouro na Califórnia em 1849 [...] A recente descoberta de ouro no Território de Montana iniciou outra debandada." (2%)


Dentre estes que tentavam fortuna estava o marido de uma das passageiras do grupo, o sr. Bonneaux (deixou-a com sua filha há dois anos atrás). E é o início de uma discussão entre membros do grupo de viajantes que chama a atenção do major Andrew Garret, comandante do 2o. Regimento da Cavalaria e o segundo oficial do ranking em Laramie. Visto que o comandante do posto, coronel Cavanaugh, está impossibilitado de exercer suas funções no momento, é o major quem tem que intervir, mesmo sem querer, já que parece ser um assunto particular. E, então, um "choque", uma "dor esquecida"...
"Estava de costas para Andrew, [...]. Espessos e negros (cabelos) sob uma leve camada de poeira da trilha, as tranças entrelaçadas atraíam o olhar estupefato de Andrew." (2%)
Julia Robichaud - a Bela de Nova Orleans.
Seis anos...
... e o reconhecimento.


Andrew carrega em seus braços uma Julia desmaiada até o cirurgião-coronel Henry Schnell. Causa do desmaio: fraqueza (poupava suprimentos para Suzanne, sua filha de 5 anos). Para o médico o major identifica a paciente: sua esposa.


Seis anos... Ela era uma jovem de 16 anos, órfã, morando com o tio que administrava a empresa que seu pai deixou, a linha de barcos à vapor Robichaud, desde os 10 anos. Ele, um espião, tenente do 2o. Dragão, Cavalaria dos EUA, graduado em West Point. Casaram-se sem que ela soubesse o status dele, amaram-se ardentemente... Traição. Tiro. Enviada para Natchez como casamento anulado por um bispo, conheceu e casou com o pai da sua filha, Philip Bonneausx.

E lá estão eles: um morto mais vivo é difícil de encontrar, já que o uso de entorpecentes por parte do 1o. no comando faz com que Andrew não pare, resolvendo, providenciando, liderando rondas... As pessoas no forte não entendem e várias são as vezes que a Julia é chamada de sra. Major Garret. Os ressentimentos, as lembranças... margeiam. Mas... mais além do senso de proteção?
"... Perdera a cabeça e quase perdera a vida uma vez por causa daquela mulher. Poderia ser considerado vinte vezes mais idiota se caísse sob seu feitiço novamente. Porém, mesmo aquele alerta severo não o impediu. [...]" (22%)
Contamos com personagens maduros, reais, com cargas emocionais fortes, que não podem negar: há algo (ainda? novamente?). Ambos sabem a força do que tentam suprimir e o que podem causar um ao outro. Seus corpos se reconhecem e se atraem, importam-se um com o outro (e com a Suzanne), descobrem mais... histórias, circunstâncias, caráter... Não há o que negue a ela. Nem mesmo quando ela decide ser lavadeira para ganhar o próprio sustento e o da filha sem depender dele ou de quem for - mesmo não sendo ofício para ela. Nem assim ele nega. Manda que um dos seus homens leve uma carta para ela... 

Assim como não há o que ela negue a filha, o que causa certos "twists*2". Sempre que pensamos que as coisas caminham para o desfecho... A vida e seus imprevistos. Sejam cachorros, pôneis, doenças, violências, retornos. A autora surpreende como conhecimento histórico, descrições... Vemo-nos dentro da história! Merline também não nos nega... Alegrias, surpresas, incertezas, lágrimas e suspiros. Perdemos o fôlego com os protagonistas, vivemos com eles, torcemos. Amamos!

Amei a experiência! Conhecer o Velho Oeste, a Julia, o Andrew, toda a população do Fort, Mary, os Sioux conhecidos do Andrew... Nuvem Vermelha... A Merline encanta a cada palavra, frase, sentença, parágrafo... Agradeço a Cherish Books Br por publicar o livro e já aguardo os próximos! 


Um abraço,
Carolina.




. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 
* Em 1851 foi assinado um tratado no Fort Laramie pelos Sioux no qual os EUA estabeleciam limites para as terras indígenas. Em 1865 Nuvem Vermelha e outros líderes sentiram-se traídos com o estabelecimento de fortes militares na chamada Trilha Bozeman, considerando isto uma quebra de tratado. Em 1865 foi reunida uma coalizão formada pelos Woqini e Cheyenne, que atacaram um posto militar em North Platte River. Em 1866 começou a guerra que resultou em um novo tratado,  no qual ficou acertado que o exército abandonasse a trilha Bozeman e respeitasse as terras Lakota. [...]

*2 Reviravoltas da história

2 comentários