Como casar um barão

Autora: Michaelly Amorim
(Amores Indecentes, 5)
Editora: Freya*
N° de páginas: 181 *
Aviso aos navegantes - oops, leitores! Rs - há cenas calientes pós casamento. ;)

Yay! Uma mocinha com curvas! Kkk!

Gostei dela logo de início por ter tido tanta coragem! Ainda mais naquela época e com um príncipe no seu encalço! Com a família apoiando que ela aceitasse deixar que ele se saciasse - horrível! Ela morava no palácio, o que para muitas era o suficiente. Mas... Integridade. Princípios. Força. 

Se ainda não a admirasse, o discurso na cozinha para as empregadas quando uma cozinheira nova precisou ser chamada, vinda de Magdalena...! Amei! Concordo plenamente com o que ela disse! Jesus não virou as costas, não discriminou, sempre perdoou, estendeu a mão, pregou o amor incondicional... Ah, desculpem! Nem a apresentei: Samantha Hemwer. (O sobrenome foi... abreviado. Afinal, ela foge, não é?!)

A chuva, na noite da sua fuga, atrapalhou o caminho, fez com que ela caísse do transporte e, andando, ouviu choro de criança. Era a Sophia, filha do Barão de Montress, uma criancinha que estava tremendo de frio próximo a um arvoredo, agarrada a uma boneca, encharcada. Sammy a carrega até a porta, ajuda, preocupada. E, dois anos depois, ainda cuida dessa linda criança, agora com cinco anos, muito amada!

O pai, criado sem atenção ou amor, não consegue expressar muito mas ama sua rebenta com devoção!
E seus olhos são abertos por uma babá possessa no dia do aniversário da sua filha! A Samantha é ousada! Kkk! Chegar peitando assim um barão, uma mera empregada? Rs. Ela tem o amor incondicional da criança e a constatação da reciprossidade pelo Montress o faz olhar para ela com outros olhos, como se realmente a visse pela primeira vez! E gosta do que vê.

Ele começa a prestar mais e mais atenção. Suporta um baile em sua casa... Há cenas hilárias; há momentos de ciúmes... Ele se encoraja! A gente suspira. Mas o passado é uma droga que vem ofuscar e entorpecer e asfixiar... soprando, soprando, tentando a tudo derrubar! Tá, peguei pesado com o lobo mau?!? Edward é pior! Mas meus amigos tem amigos e não darei mais detalhes.

Claro que ele também tem que tirar um ou outro esqueleto do armário e o retorno de antiga amizade corrobora para o necessário fim. Teremos um retorno de herois para casa com direito à premiação! Kkkk! A Sophie é convencida do seu lugar nos corações dos pais e tudo termina bem quando se está tudo bem! Rs.

Com o rosto exercitado pelos sorrisos e franzidos de cenho, as bochechas coradas com imprompérios e coração aquecido eu me despeço de vossas senhorias!


Um abraço, 
Carolina.

Nenhum comentário