A garota invisível

Autora: Tatiana Amaral
Edição Independente
Publicado em 20.02.20.
No. de páginas: 405


Olá! Quem aí se sentiu invisível alguma vez na vida?!?... (Infelizmente, eu já! Kkkk! E foi mais de uma vez... 11 anos, Rio de Janeiro... Depois, aqui na Bahia...)

Então, a Amanda se sentia assim com relação ao irmão da sua melhor amiga, a Geovana. Ele era... "dreamy"! Lindo, o mais bonito!!! Os olhos acinzentados, os cabelos... hmmm..! As palavras faltam... os movimentos falham... O famoso olhar de boba ocorre. Ah, l'amour!... O primeiro! Como esquecer?

Pois, Amanda correu para longe, "fugiu", humilhada pela então namorada do Diogo, a srta.-mais-bonita-da-escola, a Eduarda. 

(Deixa eu pensar se perco meu tempo falando da escória... Tá, preciso mencionar porque esse espinho feriu em momentos cruciais! Ela é vil e tão podre por dentro quanto é bela por fora. Creio ser um bom resumo. Mais do que ela merece. E... ela amava humilhar a Amanda... Creio que por sentir no fundo algo que não revelarei.)

A Amanda era gordinha, claro, com seus doze anos. Usava aparelho dental... Mas treze anos se passam até que ela regresse a Salvador de férias: a sua cidade natal, cidade da sua amiga Geo... e do Diogo! E em treze anos muito muda... Formas arredondadas infantis deram lugar a curvas... em locais admiráveis - tá, "no miudinho", os caras "secam" ela, "babam"...!

Ela encontra um Diogo bêbado - fato que tem sido comum! - A que se acha o último biscoito do pacotinho  (Eduarda, agora esposa) deixou ele, saiu de casa, diz querer divórcio por ele não ceder ao último... "capricho"... dela. - Pois, ele está um caos.! Saído da "zona de conforto conhecida"... E então avista a Amanda no quarto do fundo da casa, o que ela usava com a Geo quando crianças, o quarto para onde ele foi para "fugir" da festa de aniversário da irmã.

Uma linda miragem! Uma bela mulher! Só poderia estar alucinando!!! E se deixa levar pelo impulso, cede aos instintos proporcionados pelo álcool: uma visão... SQN! Ela está lá, de carne e osso.

Tcham-tcham-tcham!...

A "invisibilidade" muda... ressignifica. Mesmo que seja tão real o toque, as sensações, o desperto pela proximidade e toques...

Convido a conhecê-los, intrigar-se com a Geovana e o seu segredo, querer dar tapas na "Beth", conviver com uma família amorosa, ter as células abrasadas e postas em combustão com um aproximar e/ou toque... Arrepiar-se... "Ai, ai..!" Rs. Saber a loucura do Diogo quando descobre - e como descobre - que a sua garota invisível é, na verdade, a Mandy! Aquela Mandy!...


Um abraço,
Carolina.

5 comentários

  1. Amei a resenha Carol! A Mandy e o Diogo me fizeram dar muitas gargalhadas❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses dois... rsrs.
      Ri mas me revoltei tb... Vobrei... Tudo! Rs.

      Excluir
  2. Olá. Quem nunca se sentiu invisível na vida ? Eu sempre kkkkk.
    Amo livros com essa pegada romântica. Ainda mais escrito pela lindíssima Tatiana Amaral. Linda resenha Carol, já fiquei curiosa para poder ler essa indicação ♥️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há momentos de calor... e momentos em.que pensa em dar um tapa em alguém! Kkk! Momentos de gargalhadas e outros intrigantes... Geo. Verá! Kkk

      Excluir