Simetria

Autora: Bia Carvalho
Editora: independente
Lançamento: 11.07.19
No. de páginas: 505
"Nem toda história de amor começa como um conto de fadas."
Da última vez em que nos vimos, ela era apenas uma menina e fora arrancada dos meus braços e da minha proteção, levando um pedaço de mim. Eu me livrei de um mundo de violência e humilhações, mas não consegui levá-la comigo. Não passava de um moleque, mas sempre acreditei que poderia cuidar melhor dela do que aquela mãe drogada* e o tio cruel que lhe restou. Mas este direito me foi roubado, e, por isso, tudo o que eu queria era saber se estava bem.No primeiro reencontro, escapou por entre meus dedos e negou minha ajuda. Da segunda vez em que nos esbarramos, ela me propôs um pacto. Uma vingança contra aqueles que tanto nos machucaram no passado.Não era exatamente a minha intenção entrar em uma briga daquela natureza, mas Nadine precisava de mim. E eu faria qualquer coisa para mantê-la a salvo. Principalmente de si mesma."

A leitura desse livro foi incrível! 
Gostei tanto que não consegui parar!
(Exato, não dormi... até finalizar.)

As personagens principais tem características as quais aproximaram-me delas logo de cara; o jeito protetor dele, sua história... O jeito cabreiro dela, sua vida indoors - inflingida.

Ele teve família. Princípios bem definidos, um pai que o ensinou a lutar... 
"(...) Meu pai – que morrera quando eu tinha apenas treze anos – me ensinara algumas coisas na vida. Apesar de ser um homem meio desajeitado em demonstrar seus sentimentos, falou-me algumas coisas sobre decência, lealdade, caráter e consequências de escolhas erradas, mas sua lição mais importante foi que um homem precisava honrar as bolas que tinha no meio das pernas. (...)"
E perde tudo no início da adolescência. Agora órfão, nas ruas, ajuda aos demais, aos menores, sempre que consegue comida compartilha... Logo foi adotado como irmão mais velho pelo Johnny. Ganha o que pode com seus punhos, em lutas, nunca perdendo. Até que foi "notado" e, de quebra, proporcionaria teto e comida decente para o Johnny.

Dine o conhece quando ele chega em sua casa. Ok, uma parte específica da casa, já que ela não tem mais acesso livre à ela, morando já há anos no porão. Sim, ela é mantida lá pelo tio desde que seu pai morreu deixando tudo para ela e a mãe, que fica cada vez mais frágil desde a chegada do irmão. Se ela não sai do porão... isso mesmo: Rafa é colocado lá também! Sai apenas para lutar, em convívio "forçado", com intuito escuso do tio da garota, que não quer formar laço de amizade... Plano do familiar já "manjado" por ela. 
"(...) Fiquei olhando para ele como uma lunática, estudando-o e tentando proteger meu coração do quão fácil eu poderia me apegar a ele – para não dizer o mínimo. Toda garota sonha com seu herói particular, e, aparentemente, lá estava o meu. Mesmo que fosse complicado, errado e perigoso. (...)" [7%]
Seu mundo: livros, filmes... Toda uma estrutura no porão: dois quartos, cozinha, banheiro... Menos janela... Porta trancada. Complemento vitamínico levado junto às compras e deixado à porta, mantimentos, sempre em dado espaço de tempo. Fogão, geladeira, microondas... Livro favorito: As brumas de Avalon.

Corvo X Lancelot...

Ganância humana...

Cárcere privado + ameaças...

Google images
Amor nasce com amizade, carinho, respeito... Três anos de convivência e vitórias em lutas, visitas esporádicas de um Johnny com olhar assustado, morte da dona da casa, mãe da Dine... E o Corvo vence todas - pela borboleta, pelo irmão mais novo.

Até serem separados; até que descobre o monitoramento constante; até ser obrigado a descumprir com palavra após plano de fuga frustrado. Inicia-se busca, que dura anos! Nunca supera, nunca esquece, insubstituível...

Então, aguardo que venha falar comigo após a leitura, deixe comentário, compartilhe... Muito ocorre! Encontros e desencontros. Convido a lutar pelo que é correto, deixar pedaço a pedaço do seu coração ser conquistado... Ajudar e ser ajudad@. 

A narrativa tem pontos de vista alternados entre o Rafael e a Nadine. Ela foi enganada, acabou por acreditar em farsa que custou mas... Reconhecimento, sentimento, marcas além das físicas ou psicológicas permanecem, laços, ideais...

Vivemos presos em mundos que por vezes não ultrapassam a porta de um porão mas parecem ser as janelas dos universos particulares. Nossos corações mais dopados que o suprimento no armário da cozinha da Dine, encontrado acidentalmente... Precisamos dormir, descansar... Assim como despertar.
"Close your eyes and give me you hand..."
Se eu "dei uma viajada"?!?... Não sei precisar - mas adoraria encontrar o meu Lancelot! ;)


Um abraço, 
Carolina.

4 comentários

  1. Carolzinha, suas resenhas sempre da melhor qualidade! Muito obrigada por ter entrado no mundinho limitado desses dois. Vc é demais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço pela convivência com esse casal lindo!..

      Amei a leitura! <3

      Que venham outros!

      Excluir
  2. Carol,suas resenhas são as melhores que eu já li amo d++ vou indicar a uns amgs pra eles lerem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Avise que está disponível na Amazon/Kindle e no Kindle Unlimited!
      🌷

      Excluir