Soul love: à noite o céu é perfeito!

Autora: LyndaWaterhouse
Editora: Melhoramentos
Ano de publicação: 2006
Número de páginas: 208


“Atual e surpreendente, este livro é uma perfeita história de amor moderna. A protagonista, Jenna, se apaixona por Gabe, um menino ao mesmo tempo encantador e sombrio…”
www.editoramelhoramentos.com.br


Guardar para si... Por vezes “manter a palavra” pode acarretar em...

Que as pessoas gostam de falar não é novidade. Aumentam... conjecturam... Quando Jenna vai “passar um tempo” com a Sarah, irmã da sua mãe, que mora em um interior chamado Little Netherby, as pessoas da pequena cidade onde todos se conhecem sabem que ela foi expulsa do colégio onde estudava, é claro!

Mas o que parecia que seria fardo – a tia está sem telefone, computador ou tv e em frangalhos com a partida do namorado Kai – tornou-se mais. Jenna tem que ser a adulta. Ela abre a loja de sebo da tia, faz algumas compras – precisam comer! –, dá comida para a Tallulah (gata)... de início.

Com o tempo ela começa a conhecer as pessoas, acostumando-se a andar, ler poesia e...
“... um corpo seminu em uma espreguiçadeira no quintal da casa vizinha. (...)
Vi claramente um torso musculoso com pequenos mamilos castanhos. A pele era surpreendentemente alva.” – p.15
... e um paquera!
“Estava me lembrando da primeira vez em que o vi. Você estava sentado numa espreguiçadeira na casa de Charlie, passando a mão no peito, exatamente como estou fazendo agora. Eu não conseguia tirar os olhos de você. Parece engraçado que tanta coisa tenha acontecido desde aquele dia.” – p.188
Jenna amadurece. Ela começa a enxergar com maior clareza as coisas, aprende a ter mais paciência em alguns casos, a se expressar em outros. Ela não tem que ser sombra de ninguém! Ela tem luz própria.

Entendo perfeitamente o porquê de oito das nove pessoas que leram este livro e falaram comigo no trabalho terem amado a história e dito com absurda veemência (e com toda a razão) que eu TINHA que ler este livro, bem como compreendi aquela uma pessoa que disse ter odiado com tamanha convicção. Ele desperta sentimentos, é apaixonante, traz o crescimento pessoal através do convívio e da reflexão diária da personagem Jenna. Os apuros que as pessoas que se dizem amigas podem nos colocar. Ela tem palavra, assume e aguarda a divisão da responsabilidade... Espera... Até que se dá conta de que não ocorrerá. Bem como, a posteriori, presencia algo que certifica o comportamento da Mia, que jamais fora sua amiga...

Contudo, o “castigo” tornou-se presente: Gabriel – Gabe! Jenna não poderia “abrir mão” do sentimento que nutre por ele. Sim, Cleo, melhor amiga dele, não vai com a cara dela – aliás, com a cara de quase ninguém! Com o tempo a Jenna descobre a razão e, mesmo desgostando, Cleo confia no discernimento do Gabe e, se ele confiou na garota da cidade...
“Não gosto de você, mas se Gabe decidiu que você é uma pessoa de confiança, farei o mesmo. (...)” – p.138
Shippamos desde o início, o casal é fofo! Gabe ajuda a Jenna a pensar, eles se abrem nas conversas que tem às escondidas” pela pressão dele ser quem é e das pessoas da cidade falarem... E por vezes o que falam pode fazer mais que “ferir”.

Claro que também imaginaria um final (provavelmente) como o daquela uma pessoa... Todavia, o da autora... Será que ela escreveria uma continuação?!?... Kkkkk!

Queremos mais! Rs

Quanto ao livro em si, diversas foram as vezes em que a formatação final de margens – possivelmente – fez com que palavras que estavam com separação de sílabas se juntassem com o hífen e não revisaram... Exemplos nas páginas 61, 121, 127, 139, 140... Não anotei todos. Mas como li a edição de 2006, podem ter já reparado isso na segunda edição. ;)
 
Realmente recomendo! Apaixone-se...  💘


Um abraço,

Carolina

Nenhum comentário