Alex Rider contra Stormbreaker


Autor: Anthony Horowitz
Editora: Publifolha 
Publicado em 2003 
N° de páginas: 168 


Sim, tenho essa edição há um tempinho... e apenas agora li. Ele foi relançado pela Editorial Presença em 2006 quando filme foi lançado (no Brasil, janeiro de 2007) e pela Fundamento em 2013. Há, hoje, seriado do Alex Rider no Prime Video. E foi assistindo a esse que lembrei do livro e peguei para ler. Rs.

Alex tem catorze anos e mora com o tio Ian, um gerente de banco muito ocupado e que vive viajando. (Hã-hã! Rs) Há a Jack Starbright, que iniciou trabalhando enquanto estudava (foi babá do Alex...) e hoje é governanta - e sua amiga. O Alex não conheceu os pais. 

Então, de repente, não mais que de repente... 
O tio morre. 
Acidente de carro. 
Estava sem o sinto.
- Mas o tio nunca andava sem o sinto e exigia que o sobrinho o colocasse também! Muito estranho... Não bate! 

O enterro é esquisito: umas trinta pessoas - as quais o Alex jamais viu antes - comparecem. O tio não tinha namoradas ou amigos. O sr. Crawley se apresenta a ele como gerente de recursos humanos do banco em que o tio trabalhava. Hmmm, ok?! Uma palavra dita no enterro... Caminhão... O último andar da casa, onde ficava o escritório do tio, sempre trancado, está aberto. E, ainda, vazio. 

O sr. Alan Blunt, presidente do banco, o leva até a agência para conversarem após o Alex ter "tido uma aventura" no ferro velho para o qual o carro do tio foi levado (ele descobriu, saberá ao ler) para ser descartado. Vê tiros na funilaria, sangue no banco do motorista. Acidente e ausência de cinto... sei! 

O banco não é um banco. Novidade! Mas abriga setor do MI6. Alex é chantageado para "ajudar" na operação que o tio estava, a respeito do Stormbreaker, em Port Tallon, Cornualha. Orfanato... deportação da Jack... É aceitar ou aceitar. Treinamento de onze dias apenas, nas Operações Especiais, com homens da Unidade K.

"Parece que não tenho muita escolha."

Stormbreaker é o nome do novo computador, de última geração, que está para ser entregue em todas as escolas da inglaterra, uma "doação generosa" (demais! - portanto, suspeita) do sr. Sayle, rico empresário e ex-colega de escola do primeiro ministro. Ganhará apenas a cidadania, nada mais. 

Yassen Gregorovich. Avisam? Não avisam? Foi ele quem matou Ian. Se morrer? Blunt diz não ser da conta deles. Simpático, não? Gente fina... Tão ético..! Calei.
 
"Lembre-se, Alex Rider, nunca é cedo demais para morrer." 


Muita ação e aventura, exploração e perigo. 
Divirta-se ao acompanhar o Alex sem sofrer as consequências caso descoberto, exercite questionamentos e antecipação, conferindo o final! Ah, e cuidado com "Caravelas" (physalia physalis)!


Um abraço,
Carolina.

Nenhum comentário