Depois

Autor: Stephen King 
Editora: Suma 
Publicado em 2021 
N° de páginas: 192 

Assim que li a primeira página, a 9, pensei que deveria gravar lendo trecho nos stories... Rs. "Acho que essa história é de terror. Dá uma olhada." Imaginei a voz... rs.

Quem nos fala é a personagem principal, o Jamie Conklin. Ele convive com a sua "habilidade" desde criança. Aos seis, ele conversou com a esposa do vizinho, recém falecida, que alertou sobre o cigarro do marido no cabelo da mãe, respondeu sobre onde estava a aliança e o anel de noivado... Ele relata que viu antes um senhor na via, enquanto se deslocava com a mãe para o aniversário de uma coleguinha. (Voltaram para casa.) 

[Mas não se engane: eles não são falantes! Após a morte, pouco se interessam. Respondem as perguntas que o Jamie venha a fazer e ele acredita que não podem mentir mas, com o tempo a voz vai sumindo... E eles vão. - Ele acredita.]

Imagine a situação! Bom, sempre foi "ele e a mãe contra o mundo" - rs. Pai? A mãe nunca contou quem era, eram os dois. Alguns problemas ocorreram e no início ele conta. Esquema de pirâmide que levou o dinheiro da empresa, mudanças... A mãe trabalha com escritores, representação, na empresa do tio dele, que sofreu de alzheimer (doença progressiva que destrói a memória e outras funções mentais importantes) precoce e foi afastado. Mas eles tinham um escritor, de série afamada, que pagava o novo aluguel e a conta de luz! Rs. 

Este falece. Ok, outro fantasma... E daí? Citei por ser importante - não apenas para que o último livro fosse publicado e pagasse algumas contas mas... Depois verá! A famosa palavra: depois

Jamie não pode abrir o que vê, obviamente. Ah, sim, e por um tempo não são apenas ele e a mãe, mas a Liz participa, convive com eles. Até que algo dá errado também. Calma! Ela não vira fantasma ali! Kkk! Mas é policial... Ele e a mãe, novamente. Algumas visões, mas sem "bate-papo". Claro, funciona até tentarem tirar proveito da habilidade dele. Infelizmente, ocorre mais de uma vez. E quero que leiam! 
;-D

Ainda no início lembrei de um comentário ouvido ano passado ao ler:

"A maioria deles, não todos, mas a maioria, sentem atração por gente viva por um tempo, como insetos se sentem atraídos por aquelas luzes que..."

Ok, mas tem muitas imagens que poderiam ser usadas! Por que "luzes"? Rs. Abelha no mel... Formiga no açúcar... Insetos em luz que os mata!! King sempre coloca uma palavra ou... relacionada ao "poder" do Jamie, do "shinning" dele. Rs. E algo tentará... Calei. Rs.

Gostei muito da leitura. Parece que será parado por estar sendo narrado pelo rapaz/garoto/menino, mas por vezes ri com ironias, em outros momentos, fiquei apreensiva... Assim como ele temia ter pesadelo e assoviar sem perceber! Mas ele avisou pensar ser uma história de terror. Se é? Leia e... "dê uma olhada", me conta o que acha! ;-)


Um abraço,
Carolina.

4 comentários

  1. Nunca li nada do King, preciso criar coragem por conta do estilo literario. Mas a resenha está instigante👀

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrs... Ah, esse você lê "de boa", Amanda! Coragem!! Rs. Beijo!

      Excluir
  2. Uau! Rs. Acho que tomarei coragem, já que esse dele não é enorme como costuma ser! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrsrs! Na livraria fiz atendentes rirem muito dizendo que merecia ser adquido e lido por ser inédito! Kkk! Justamente pelos calhamaços que ele constuma escrever! Rsrs.

      Excluir