Benjamin

Autora: Mari Sales
- Família Valentini, 1 -
Editora: Independente
Ano de publicação: 2018
No. de páginas: 136
"Marcados por uma tragédia em sua infância, os irmãos Valentini estão afastados há muito tempo uns dos outros. Benjamin, o irmão mais velho, precisou sofrer uma desilusão para saber que a família era o pilar de tudo e que precisava unir todos novamente.Embora a tarefa parecesse difícil, ele encontra uma aliada para essa missão, a jovem Rayanne, uma mulher insegura, desempregada e apaixonada por livros, que foi contratada para organizar a biblioteca da mansão e encontrar os diários secretos da matriarca da família..."
Sempre há situações que nos pegam desprevenidos - podemos ficar sem ação, pode ser o pior possível... (Quem sabe um ataque de risada? rs.) Mas, de vez enquanto, talvez, quem sabe... Pode olhar por outro ângulo. Ah, sempre o olhar!...

Ben olha. Ele vê. Sente... Ter descoberto o que descobriu, fazendo-o, em um rompante, retornar para a cidade que morou 20 anos atrás, fez bem. Foi a melhor coisa que poderia ter ocorrido à ele. Quando ele tinha 15 anos o pai morreu tragicamente. Mudaram-se. Hoje tem 35 anos de idade. O irmão do meio, Carlos Eduardo, tem 31. E o caçula, Arthur, tem 29 anos de idade. Ele não os vê há... e precisa reunir novamente a família.

Sim, além de re-encontrar a si mesmo, ele encontrou/conheceu a Ray.
"Sabia muito bem que estava mais sobrevivendo do que vivendo, também sabia que não estava fazendo nada de especial, mas o destino parecia me querer apenas assim, estagnada na minha vida pessoal e profissional." [6%]
"Rayanne que gosta de ser chamada de Ray" é formada em jornalismo, mas não pratica, está desempregada. Ela tem 25 anos, ama ler, participa de um grupo de leitura, não tem amigos exceto as meninas do clube. Duas delas moram na cidade mas quase não se veem por trabalharem demais e, quanto as outras, conhecem-se apenas virtualmente. 

Ela mora com a avó há dois anos. E foi por intermédio dela que conseguiu o "bico" de limpar, organizar e inventariar uma biblioteca que a deixa nas nuvens! A biblioteca é particular, em um casarão, e ela não pode divulgar o que possa vir a encontrar por lá! A encarregada da mansão, uma senhora de certa idade, Judith, conhece a sua avó e, como não confia em qualquer pessoa, pede a recomendação da mesma ao lembrar de comentário feito certa vez quanto ao cuidado da neta com os livros.

Três dias se passam e... quando está quase terminando o serviço, com o adiantado da hora, encontra, finalmente, anotações, fotos, pastas da família... escondidas. Pior, quando resolve "dar uma olhadinha", o dono da casa chega, antes do previsto, e a "pega com a boca na botija"!

"- Quem é você? (...)
- Oh, senhor, me desculpe, eu... (...)" [16%]
 Gente, que situação! Rsrs... E outras, no decorrer das páginas, se apresentam. Ele insiste em saírem para a pizza que ela comentou com a avó pelo telefone... Fala que ele mesmo fará o pagamento, querendo que ela retorne para o ver, quer vê-la. Sente nela uma certa inocência que vai de encontro ao mundo de CEO e riqueza em que vive.

Para ela? Parece com um dos romances que lê, e fantasia cenas... Sim, ela nunca namorou, sempre foi tímida. Eles vivem pedindo voto de confiança e o dão um ao outro. Ela se deslumbra, mas não se deixa levar inconsequentemente. Avó teme que se machuque, afinal, ele não é um garoto, é um homem feito, dez anos mais velho... 

Mas aos poucos... Ela vai diariamente, no mesmo horário, compra livros para atualizar a biblioteca, um atrativo a mais para um dos irmãos, teoricamente. Eles ficam... Há intenções, há demandas... 

Nunca li nada da autora. Vi algumas publicações no Instagram, mas nada que realmente me chamasse e, do nada, ao olhar o Arthur na biblioteca - um livro 3? Qual é o livro 1? 


Benjamin. Livro dois, Carlos Eduardo. Três? Arthur...


Uma leitura gostosa, rápida. No Kindle deram como tempo estimado 02h e 49m, li com meia hora e uns minutinhos a menos. :) Sim, eu cronometrei! Algo tinha que me dar a certeza de não dormir durante a madrugada e não sabia que a história envolveria como envolveu! Kkkk! Mas foi bom saber que terminei antes da média! - O que foi? Uma competiçãozinha saudável não faz mal! 

(Já que não posso competir com a Ray... Um Benjamin desses...
Psiiuuu! Segredo! 
Falei nada! Vai que o Montenegro ouve?!?)



Um abraço,

Carolina.

Nenhum comentário